Postado em 10/07/2015, por gepfor

A função paterna da interpretação.

A FUNÇÃO PATERNA DA INTERPRETAÇÃO

Por Miguel Calmon du Pin e Almeida

Resumo: As funções paterna e materna se complementam sem que possa afirmar a anterioridade de uma função sobre a outra. O autor tenta esboçar nos movimentos transferenciais e contratransferenciais de um material clínico o que fixa a pulsão e o que a faz pendular entre a presença e a ausência permitindo que o estranho se represente.

 Palavras-chave: O paterno, o materno e o estranho.

Leia mais: Artigo – A função paterna da interpretação1.